O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original, inédita, e não está sendo avaliada para publicação em outra revista; caso contrário, o autor deve justificar-se em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato DOCX ou ODT.
  • As URLs das referências foram informadas sempre que possível.
  • O texto está formatado de acordo com o modelo disponível em DIRETRIZES PARA AUTORES.
  • As referências bibliográficas e citações seguem os padrões da ABNT, conforme descrito em DIRETRIZES PARA AUTORES.
  • O Artigo a ser avaliado NÃO possui identificação do(s) autor(es) para assegurar a avaliação por pares cega.

Diretrizes para Autores

Os artigos devem ter por volta de 20 páginas.

O padrão de formatação dos artigos submetidos à Revista Tecnologias, Sociedade e Conhecimento deve seguir o modelo abaixo, disponibilizado nos formatos DOCX e ODT. Sugerimos que o artigo seja escrito utlizando um dos arquivos do modelo que contém "estilos" de formatação definidos. Caso prefira formatar o artigo posteriormente, por favor, siga as orientações do modelo. Os artigos que não seguirem a formatação indicada serão devolvidos aos seus autores. Somente serão aceitas submissões nos formatos ODT e DOCX.

Modelo em formato ODT*     [Portugues]
Modelo em formato DOCX*   [Português]

No caso de teses, dissertações e resumo de livros, os mesmos devem ter no máximo quatro páginas e seguir as mesmas orientações referentes aos artigos.

* Modelos válidos para artigos submetidos para publicação a partir do Vol. 7, número 2.

 

O texto de um artigo científico é geralmente dividido em cinco seções conforme recomendações a seguir.

Introdução

  • De que trata o estudo (contexto)? Por que a investigação foi feita?
  • O que se sabia sobre o assunto no início da investigação?
  • Ou melhor, o que NÃO se sabia sobre o assunto e motivou a investigação?
  • Qual é a hipótese de pesquisa (ou questão de pesquisa)?

Método (Material e método ou Metodologia)

  • Como o estudo foi conduzido?

Resultados

  • O que foi encontrado? Quais são os fatos revelados pela investigação?

Discussão

  • O que significam os achados apresentados?
  • Os achados estão de acordo com os resultados de outros autores ou são divergentes?
  • O que este estudo acrescenta ao que já se sabe sobre o assunto?

Conclusão

  •  Qual é o posicionamento do autor do estudo, coerente com seus objetivos?

 

A Introdução é a parte do artigo científico em que o autor informa o que foi pesquisado e o porquê da investigação. É local para precisar aspectos particulares da pesquisa, tais como a justificativa para a sua realização, a originalidade e a lógica que guiou a investigação (motivação). Algumas questões auxiliam na redação: De que trata o estudo? Por que foi feito? 

Procura-se também mostrar que a pesquisa está assentada em bases sólidas. Assim, na introdução, se faz a ligação com a literatura pertinente. O que se sabia sobre o assunto no início da investigação? O que não se sabia sobre o assunto e motivou a investigação? Pode existir uma seção de Background sobre a literatura pertinente que, usualmente, fica posicionada depois da Introdução a antes da seção sobre Método.

O objetivo da publicação encontra-se habitualmente no fim da introdução. Se o encadeamento de assuntos no início do artigo for adequado, o objetivo será a consequência natural e o fechamento da introdução. Ao iniciar-se a redação, é conveniente ter o objetivo do artigo por escrito. Ele será o ponto de apoio para a composição de todo o texto. Quem avalia a qualidade de um artigo costuma verificar se o texto reflete o objetivo e, em especial, se objetivo e conclusão combinam. Daí a importância de ter presente o objetivo, ou questão de pesquisa, durante a redação.

Na seção sobre Método, o autor precisa descrever o tipo de delineamento que foi adotado na pesquisa. É importante que o delineamento escolhido seja adequado para alcançar o objetivo proposto. Indica-se, na seção sobre método, como o estudo foi delineado, qual a forma de coleta de dados, qual análise (estatística ou não) foi planejada para alcançar o objetivo da pesquisa e, se for o caso, quais aspectos éticos foram envolvidos.

O propósito da seção de Resultados, como o próprio nome indica, é revelar o que foi encontrado na pesquisa. Essa parte do artigo estará composta dos dados relevantes obtidos e sintetizados pelo autor. Resultados principais são os diretamente relacionados ao objetivo do artigo. Se esse objetivo puder ser transformado em pergunta, tem-se nesta parte do texto a resposta a essa pergunta. Há ainda lugar para expor os achados secundários relevantes ou inesperados que mereçam menção. 

Alguns princípios podem ajudar a relatar os resultados de uma investigação, tais como: apresentar resultados e ilustrações em sequência lógica, enfatizar somente informações importantes e não repetir no texto o que consta nas ilustrações (figuras e tabelas) e indicar a significância estatística dos resultados, quando for o caso.

Na seção de Discussão faz-se a interpretação e os comentários sobre o significado dos resultados, a comparação com outros achados de pesquisas sobre o assunto e as conclusões a que chegaram os autores, em consonância com o objetivo da pesquisa ou a hipótese formulada. 

Uma maneira conveniente de iniciar a discussão consiste em realçar, com poucas palavras, os achados mais importantes ou os conhecimentos desvendados pela pesquisa.

Considera-se boa prática apontar os aspectos positivos e carências da pesquisa, isto é, limitações que possam influenciar os resultados da investigação. Também vale comentar providências que podem ser adotadas para contornar as limitações.

A discussão, usualmente, constitui uma seção de difícil preparação. A escrita da discussão na forma aqui sugerida facilita o trabalho e evita a omissão de partes essenciais, que são: realce dos achados relevantes e originais, avaliação crítica da própria pesquisa (limitações e aspectos positivos), comparação crítica com a literatura pertinente e interpretação dos achados.

Por fim, todo relato de investigação científica necessita de uma Conclusão. A conclusão é o posicionamento do autor do estudo, coerente com seus objetivos. A conclusão pode estar acompanhada de generalização, implicações, trabalhos futuros e recomendações.


Texto adaptado de PEREIRA, Mauricio Gomes. Estrutura do artigo científico. Epidemiol. Serv. Saúde [online]. 2012, vol.21, n.2. Disponível em: 

Estrutura do artigo científico

Preparo para a redação do artigo científico

A introdução de um artigo científico

A seção de método de um artigo científico

A seção de resultados de um artigo científico

A seção de discussão de um artigo científico

O resumo de um artigo científico

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.